Esposa do jogador de futebol Kaká diz que ‘Quando o homem trai, é sinal de que a mulher falhou’

Em entrevista à revista “Istoé Gente”, a esposa do jogador de futebol Kaká disse que perdoaria uma traição, pois “quando “o homem trai, é sinal que a mulher falhou”. Que tipo de discurso esperar de uma pessoa que vive de cabresto?

Não escreverei o nome da moça pois ela é insignificante para este blog, e o caso em sí serve apenas para ilustrar o quanto algumas mulheres se apropriam de certos discursos para perpetuar em nossa história o machismo que a tanto lutamos para eliminar do imaginário coletivo.

Se a culpa da traição do homem deve ser atribuida à mulher por teoricamente deixar faltar algo em casa ou no relacionamento, imagine quando a traidora é a própria mulher, que tipo de culpa e penalidades a sociedade machista atribuirá a ela?

Sim, vivemos no mundo ocidental que está recheado de conceitos morais ocidentais e traição sempre será vista como traição, e não é esse o x da questão.

O que proponho para a reflexão é a pressão moral e social que a mulher sofre de forma direta ou indireta, e em discursos como esses percebemos o quanto ainda estamos atrasados no que diz respeito a igualdade entre os gêneros.

Para algumas pessoas, a mulher ainda é aquela responsável por 100% das atividades domésticas, e devem incorporar o padrão moderno no que diz respeito ao trabalho externo contanto que deem conta de uma dupla ou até tripla jornada. Tripla jornada porque hoje não estamos somente ocupando lugares nas empresas e em casa com a divisão dos orçamentos,  como também estamos ocupando em peso as cadeiras de muitas faculdades do país.

As mulheres estão assim como os homens enfrentando as dificuldades da rotina casa x trabalho, e muitas vezes estão dispostas a abrir mão daquele famoso discurso utilizado quando estão em alguma situação de desigualdade, como  “sou mulher e por isso mereço determinada vantagem”, para buscar conquistas pessoais, como o reconhecimento no trabalho e a especialização em alguma profissão.

A mulher, assim como o homem, possue habilidades para desenvolver tecnica e intelectualmente, porém ainda existem fatores externos que insistem em colocar sobre os nossos ombros o sentimento de culpa por algum tipo de fracasso, como o de um casamento mal sucedido por exemplo.

As mulheres devem seguir as regrinhas do “corpo perfeito” e da “mulher ideal” em casa e na rua.

Se o homem quer uma Brastemp, que se case com uma geladeira.

Somos mulheres de carne e osso e tão logo iremos envelhercer, e isso não deveria ser uma frustração ou motivo de vergonha. A mulher não deve ser uma “coisa” que se coloca dentro de casa e que deve viver em torno das expectativas do homem.

Sim, temos TPM, mas não somos todas iguais. As individualidades estão presentes em cada ser humano, e por mais que nos digam que “somos todas iguais”, o sonho dessa sociadade pós industrial e ainda machista é que de fato sejamos todas iguais. Corpinhos iguais, cabelos e cabeças iguais.

A esposa do Kaká, está aprendendo muito bem e propagando esse discurso.

Que triste!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: