Notas sobre “Dois Atlânticos – Teoria social, anti-racismo, cosmopolitismo” – Sérgio Costa

Image

Paradoxos do anti-racismo – Os estudos raciais e seus críticos

A desigualdade de oportunidades no Brasil emerge de práticas racistas, onde mesmo sendo uma sociedade que apresenta-se jurídica e politicamente liberal, na verdade funciona com ma sociedade de castas que limita sistematicamente as chances de ascensão social dos grupos demográficos, conforme este se distanciem do conjunto de características físicas que são associadas, imaginariamente, à origem europeia.

 

Embora a existência dessas práticas racistas no Brasil seja um problema indiscutível, as formas de combatê-lo nem sempre são compartilhadas pelos mesmos grupos defensores da inclusão.

 Existe os que defendem a igualdade invariável de oportunidades e competição, porém existem também os que defendem a preservação das identidades existentes no interior de uma ordem social demarcada, respeitando à particularidade cultural.

 

O autor define a primeira forma de anti-racismo igualitarista e a segunda, como anti-racismo integracionalista.

 

A sociologia americana e o racismo no Brasil

 

Quando Theodore Roosevelt esteve no Brasil em 1931 e 1914, escreveu uma série de artigos sobre a relação entre brancos e negros no país em comparação aos Estados Unidos. Acreditava-se que no Brasil havia uma verdadeira democracia de oportunidades e que portanto não havia conflito racial.

 

Entretanto, no decorrer do século XX o número de pesquisas financiadas por empresas norte americanas no Brasil foram aumentando, e os pesquisadores chegaram a afirmações diferentes do que se acreditava, e busca-se combater o preconceito com ações coletivas capazes de reverter a discriminação dos negros no Brasil.

 Discriminação de cor, e não discriminação racial;

A raça como construção social e mecanismo de adstrição e hierarquização;

“ não brancos” tem, sistematicamente menores chances de ascensão social.

 

A discussão sobre políticas adequadas para se combater o racismo no Brasil é difícil.

O apelo a universalidade do princípio da cidadania que normativamente parece correto, é cego perante a história.

 

Não há razões para que os negros brasileiros acreditem no tratamento igualitário prometido pela lei: as práticas sociais se encarregam, sistematicamente, de reintroduzir a desigualdade de oportunidades”. (Pg.213).

 

No plano político-normativo, a discussão sobre o racismo não é menos complexa.

O autor afirma, que quando há racismo, significa que a ordem social, em seu conjunto é particularista, isto é, não é governada por normas de validade geral e nem é orientada por valores universais.

 

O anti racismo precisaria levar em conta tanto a meta da construção da igualdade, quanto a meta da atenção às particularidades culturais, ou seja, precisa ser ao mesmo tepo igualitarista e diferencialista.

 “Para a ação política anti-racista, isto implica a necessidade de atuação, no nível das instituições e das normas, no sentido de que, seja por meio de políticas de ação afirmativa, seja por meio da criação de mecanismos eficientes de criminalização do racismo, a norma universal da igualdade de oportunidades tenha de fato vitalidade. Ao mesmo tempo o anti-racismo precisa ser fortalecido como valor, no plano da integração cultural efetivamente existente”. (Pg.217).

 

 

No Brasil, a população percebe a existência do racismo, falta o passo seguinte que é reconhecer a necessidade de combatê-lo. É preciso ficar claro, que se há pessoas que são prejudicadas em suas chances sociais pelo racismo, há necessariamente aqueles que se beneficiam.

 

Graças aos movimentos negros e as atividades conjuntas no âmbito de uma rede anti-racista transnacional, o tema permanece pauta política brasileira. Entretanto as dificuldades de implantar ações afirmativas se esbarram em questões como o “mito” de uma democracia racial que ainda insistem em celebrar uma nação mestiça e tolerante. Ademais, as políticas devem levar e conta as especificidades do racismo no Brasil, pois nem sempre políticas aplicadas com sucesso em outro contexto nacional podem ser aplicados em uma outra realidade com o mesmo resultado.

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: